terça-feira, 26 de abril de 2011

Como fazer os cães pararem de pular nas pessoas

Ontem, atendi um cão boxer que adora pular nas pessoas. A dona do peludo já não sabia mais o que fazer para que Sultão parasse com isso, então expliquei para ela que, geralmente aumentamos esse problema porque tentamos corrigir o cão da maneira errada.

Em geral, os cães aprendem que, pular nas pessoas é a melhor maneira para conseguir atenção do dono, ou seja, os donos ficam lá dando broncas e mais broncas no peludo para que ele pare de pular e não percebem que, quando damos bronca, também damos a atenção desejada.

Outra coisa que acontece muito é que incentivamos esse ato, principalmente quando o peludo é filhote.
Pular nas pessoas pode ser uma demonstração de afeto por parte do cão, mas também pode ser uma demonstração de dominância.

Para corrigir esse problema você deve simplesmente ignorar seu cão!! Isso mesmo.... 
Quando você chegar em casa e seu cão começar a pular em você, não de atenção a ele. Só de atenção quando ele parar de pular e estiver no chão, calmo.

Estimule seu cão a pular em você para treinar o exercício. Repita isso algumas vezes até ele entender que pular é errado. Sempre o recompense quando estiver no chão e calmo.

Uma outra maneira de corrigir esse problema é segurar as patas da frente quando ele pular em você. Segure com firmeza, mas sem apertar e ande na direção dele. Ele se sentirá desconfortável. Não fale nada e nem o olhe, em seguida coloque as patas do peludo no chão e diga um sonoro NÃO. Assim ele entenderá que pular é errado e não fará mais isso.

Não esqueça, sempre o recompense quando ele não pular em você.

Os peludos também podem ser ensinados a pular sob comando. Ou seja, a pular somente quando você quiser. Mas para isso é ideal que ele aprenda primeiro que não deve pular.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Videoclipe com peludos!!

A banda Ok Go fez um vídeoclipe bem legal, com vários cães em diversos comandos.

Interessante observar como os peludos podem interagir, aprender e responder á vários tipos de exercícios.

No vídeo, podemos ver vários peludos de idades diferentes, provando que qualquer animal de qualquer raça ou qualquer idade pode ser educado e adestrado.

video

terça-feira, 12 de abril de 2011

Sol para os felinos.

Dificilmente um gato rejeita um bom relaxamento ao sol. Além de ser um exercício muito saudável para ele, também é importante para a fixação do calcio, fortalecendo os ossos. 
 
O sol também ajuda a livrar os peludos de alguns males como a depressão por exemplo.
Por isso, tente reservar um local de sua casa para seu felino tomar sol, principalmente agora que estamos nos aproximando do inverno.
 
Mas cuidado, assim como os humanos, os animais também podem sofrer com o excesso de sol na pele, como o câncer de pele, por exemplo.
 
Algumas partes do corpo que não possuem pelos, como na barriga, ponta das orelhas, nariz e em volta dos olhos, é onde geralmente ocorrem as incidências de câncer em todos os peludos (cães e gatos).
 
Devemos ter um cuidado especial com os animais de pelagem branca e clara, pois a incidência de câncer de pele é maior neles do que nos animais de pelagem escura.
 
Existem também para os peludos, protetores solares. Eu não recomendo o uso de protetores solares usados em humanos, mesmo os líquidos e sem álcool. Existe nas pet shops vários protetores especialmente feitos para animais.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Felinos também são inteligentes!!

Os gatos também são animais inteligentes, possuem uma boa noção de espaço, aprendem por observação e possuem ótima memória.

Ao contrário do que muita gente pensa, não é porque o gato não obedece a ordens que ele não seja inteligente. Obedecer também não é necessariamente um sinal de inteligência.

Diferentemente dos cães, os gatos são mais solitários e durante sua evolução, nunca dependeram de outros animais para caçarem por exemplo. Isso fez com que os felinos se tornassem totalmente independentes. E por conta disso, mesmo hoje, os gatos domesticados dificilmente se submetem a ordens ou comandos.

Da mesma maneira que o cão, a inteligência do gato também vai depender do ambiente, da alimentação, saúde, bem estar e o quanto eles são estimulados a desafios e brincadeiras.

Mas, não queira que o gato faça as mesmas coisas que o cão, pois cada espécie possui uma característica e comportamentos diferentes. O gato não se submete a ordens e não tem interesse direto em ser adestrado, diferentemente dos cães que são bem maleáveis nesse caso.

O primeiro animal que ensinei o comando “senta” foi em um gato que peguei da rua quando morei no Espírito Santo.

Usei uma bolinha de papel para ensinar esse comando, já que, petiscos ele não queria e também não se importava muito com recompensas como o carinho ou as falas de aprovação e incentivo.

O mais legal é que ele entendeu rapidamente o comando, e assim evoluímos no adestramento. Mas isso depende de animal para animal.

Existem animais que conseguem aprender mais rapidamente que outros. O importante é identificar o que estimula seu peludo felino e trabalhar em cima disso.

Um teste legal para você realizar com seu gato, é pegar um objeto, (uma bolinha, por exemplo) e passá-la por trás de uma caixa de papelão. A maioria dos gatos consegue entender que a bolinha se deslocará por trás da caixa e irá aparecer do outro lado, pois geralmente eles irão olhar para o ponto de onde a bolinha aparecerá.

Os cães não se dão muito bem nesse teste. A maioria deles fica olhando somente para o ponto de onde a bolinha desapareceu.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...