sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Socializando seu filhote


Como dizia minha avó: É de pequeno que se torce o pepino!!

Pois é, com os animais não é diferente. Quanto antes forem socializados, melhor!! Pois quanto mais tarde ficar, mais difícil será o aprendizado. E aí, aqueles problemas de comportamento que você achava bonitinho ou que achava que eram coisas de filhote, passam a ser um problema quando ele fica adulto.

Se você tem um filhote de cão ou gato em casa ou está pensando em ter um, não se esqueça que precisa educá-lo logo cedo.

A melhor fase para socializá-lo é a partir dos 60 dias de vida que é quando o peludinho já está pronto para conhecer o mundo e as coisas que ele oferece.

É muito importante que antes disso ele não seja retirado de sua ninhada e que permaneça com sua mamãe até mais ou menos 2 á 3 meses de vida, que é a fase em que ele começa a se sentir mais confiante longe da ninhada.

Antes de começar a socialização, é muito importante que ele seja levado ao veterinário para tomar as vacinas necessárias para que fique imune a vírus e doenças. Mas converse com seu veterinário para saber exatamente sobre sua imunidade e se ele pode ou não ficar no chão da rua por exemplo. Caso ele ainda não possa ficar no chão da rua, leve-o no colo para um contato visual da rua.

Depois de iniciada a fase das vacinas, uma socialização correta e agradável poderá fazer com que seu cão ou gato se relacione bem com pessoas, outros animais e lugares diferentes. Por isso, tudo que acontece de bom ou ruim nessa fase da vida deles, influencia diretamente no seu perfil.

Quanto mais o filhote conhecer barulhos diferentes, pessoas, animais, ambientes e objetos, mais chances ele terá de ser um animal confiante e sociável.
Lembrando que, para tudo temos que ter cuidado. A paciência e a gradatividade são fundamentais na hora da socialização de um cão ou gato. Tenha cuidado na hora de apresentar as novidades para não assustar seu peludinho e acabar criando um trauma para ele.

Tenha em mente que, socializar seu animal não é só fazer com que ele se de bem com todo mundo, afinal, cada animal é um animal, ou seja, pode ter algum peludinho que interaja menos com outras pessoas e animais, e isso é normal. Socialização é fazer com que ele tenha regras e limites para um bom convívio com pessoas e outros animais e que ele saiba quando e como agir em todas as situações que ele for apresentado, em ambientes diferentes, com objetos novos, com calma e confiança e que ele saiba e identifique quem é o líder e quem é o seguidor.

Um filhote não socializado, ou que teve pouco ou nenhum contato com outros animais, pessoas, lugares ou objetos, pode se tornar um animal com fobias, agressividade, insegurança e uma série de outros problemas de comportamento.

Para fazer uma boa socialização, você deve apresentar seu animal para outras pessoas ou animais de uma forma calma e paciente. Procure brincar, dar petiscos ou fazer carinho enquanto outras pessoas ou animais estão no ambiente, assim ele associará isso com coisas boas. Você também pode pedir que as pessoas ofereçam petiscos, carinho ou brinquedos, para que o animal se sinta a vontade também com outras pessoas.

Cuidados na hora da apresentação é essencial, pois os filhotes podem se assustar facilmente com pessoas, principalmente se forem crianças ou animais que fazem movimentos muito bruscos. O essencial é a tranqüilidade e a calma na hora da apresentação.

Não se esqueça também que, muitos filhotes que foram socializados acabam que por adquirirem medos depois de adultos, isso acontece porque geralmente o dono deixa de estimulá-lo a situações novas quando acha que o animal já está sociável. O importante é a constância e gradatividade em tudo o que for fazer com ele. Sempre interaja com seu peludinho, afinal ele é um membro da família e como tal, merece fazer parte da vida social familiar.

Brincadeiras como forma de socialização podem ser bem legais, pois estreitam laços e faz com que o filhote interaja bastante e ganhe confiança. Mas cuidado para não estimulá-lo a morder sua mão, por exemplo!! Isso pode desenvolver agressividade quando ele for mais adulto. Ofereça sempre brinquedos para que ele possa morder e nunca sua mão ou pé.

Para finalizar, tenha em mente que, para uma boa socialização, o filhote precisa ser apresentado a diversas pessoas, animais, objetos e lugares de uma forma calma e gradativa.

Você também pode entrar em contato e solicitar uma consulta para socialização de seu filhote.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Precisa de ajuda com seu amigo?

Anda tendo dificuldades para lidar com seu bicho de estimação?

Não consegue socializá-lo, ou adestrá-lo?

As dicas encontradas parecem não suritr efeito com ele?

Já tentou de tudo e nada parece dar certo?

Entre em contato e peça uma consulta comportamental!!!



quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Cuidados na hora de adotar um novo amigo!!

Olá pessoal,
  
Algumas pessoas me procuram pedindo ajuda em relação ao comportamento de animais adotados em abrigos. Muitos não sabem como lidar com os peludos após alguns dias ou semanas que foram adotados. E algumas dessas pessoas acabam que por devolver o animal ao abrigo, alegando não saber do comportamento dele ou que não sabem como cuidar e até porque ele comeu o sofá, mordeu alguém ou fez suas necessidades em local errado.
  
Primeiro, precisamos entender que, a maioria desses animais estavam em abrigos pois foram abandonados pelos seus antigos donos, fugiram de suas casas, ou até mesmo sofreram algum tipo de violência e por conta disso, adotar é um ato de extrema responsabilidade, pois o adotante está prestes a mudar a vida de um animal de abrigo e conseqüentemente de mudar a sua própria vida também.
  
Quando pensamos em adotar um peludo, seja ele cão ou gato, temos que pensar na nossa rotina diária, ou seja, quanto tempo poderemos dispor para dar atenção e os cuidados necessários que esses animais realmente merecem, principalmente por virem de um abrigo ou CCZ.
Antes de qualquer coisa, se você quiser adotar um peludo de algum abrigo ou CCZ, precisará avaliar se tem condições e preparo para cuidar dele. Lembre-se também que eles tem necessidades fisiológicas e precisarão ser ensinados a fazerem suas necessidades no local correto. Principalmente os cães. Paciência, dedicação e amor é a chave para um bom relacionamento entre ambos. Independente da raça e idade, todos os animais podem ser ensinados.

As dicas a seguir podem auxiliá-los na escolha e nos cuidados do animal ideal para você.

  1. Primeiro, avalie o ambiente em que mora. Espaço e condições para se criar um animal é fundamental para os peludos. Pense também qual característica física e comportamental de animal que você procura, que se adapte melhor ao seu estilo de vida e de sua família.
  2. Quando estiver vendo os cães ou gatos de abrigos ou CCZs, procure obter o maior número de informações com a pessoa que está apresentando os animais. Procure saber idade, comportamento, características e etc. Tudo o que possa ser útil na escolha adequada do novo amigo.
  3. Peça para fazer um "test dog" ou "test cat", ou seja, peça para dar uma volta com o cão ou um contato maior com o gato, para uma primeira aproximação e para você ver como o cão  ou o gato interage fora do canil ou do gatil em que está.
  4. Se você optar por um cão adulto por exemplo, lembre-se que, os cães dependem muito do contato físico. É fundamental os passeios diários com eles. Além de estreitarem o relacionamento com esses passeios, principalmente nos primeiros dias e semanas, os cães de abrigos geralmente tem muita energia para gastar, pois dificilmente esses animais saiam para dar uma volta e aliviar o estresse.
  5. Não se esqueça que cães precisam de mais contato físico do que gatos por exemplo. Caso queira um animal de estimação, mas não fica muito tempo em casa por conta do trabalho, faculdade, escola e etc, um gato pode ser a melhor escolha, pois dependem menos do contato físico dos humanos do que os cães.
  6. E por falar em gatos, uma dica muito importante sobre eles é que se for adotar algum gato adulto é importante telar sua casa ou apartamento. Geralmente os gatos de abrigos ou CCZs ja conhecem a rua e por tanto irão querer dar suas saidinhas. Não sou muito favorável aos gatos que saem para a rua, pois muitos deles sofrem algum tipo de violência e a curiosidade do gato as vezes coloca esses peludos em grande risco.
  7. Outra dica para quem adotar um gato, além de telar as janelas e possíveis lugares que ele possa escapar é de enriquecer o ambiente. Ou seja, colocar brinquedos e arranhadores que irão entreter seu peludo felino em casa e fazer com que ele não tenha muito tempo para bolar um plano de como dar uma "fugidinha".
  8. Procure também criar um espaço para que seu gato possa tomar sol e também algum lugar em que ele possa subir. Gatos adoram olhar as coisas pelo alto. Então, além de espaço horizontal, seria legal eles também terem um espaço vertical para usarem. Também não esqueça da caixa de areia para que eles façam suas necessidades.
  9. Se você optar por adotar um animal de alguma raça especifica, antes de adotar, procure conhecer tudo sobre a raça e a partir daí, decida se realmente você terá condições de cuidar e conviver com o novo membro da família.
  10. Se optou por adotar um filhote, lembre-se que essa é a melhor fase para socializá-lo e deixá-lo equilibrado. Socialize-o para o convívio com outras pessoas e animais. Se precisar, peça ajuda a um profissional da área para ensiná-lo sobre obediência, socialização e adestramento. E não se esqueça que todo filhote irá crescer. Avalie bem a característica do animal, porte, e qual espaço ele terá depois que crescer. Se o filhote for um SRD (sem raça definida) procure saber quais as misturas de raça que ele possui, para ter uma idéia do quanto ele irá crescer e como pode ser seu comportamento.
  11. Se você for adotar um cão ou gato idoso ou que tem alguma necessidade especial, saiba que fará uma coisa muito nobre, pois esses animais dificilmente são adotados. Tenha em mente que esses animais terão que ter acompanhamento constante, e muitos cuidados com a saúde. Por outro lado, são excelentes animais de companhia.
  12. Não se esqueça que todos os animais que são adotados de abrigos ou CCZs devem sair castrados, vacinados e vermifugados.
Essas dicas podem ser bem úteis na hora da escolha do nosso novo amigo!!!

Você também pode pedir ajuda através de uma consulta comportamental ou adestramento.
Entre em contato.
www.equilibrioem4patas.com

sábado, 13 de agosto de 2011

Protegendo seu peludo dos dias secos!!

Apesar do inverno, esses dois últimos dias aqui em São Paulo foram bem abafados e muito secos. Na maior parte do Brasil está assim, principalmente na região sudeste.

A umidade relativa do ar registrada nessa tarde de sábado 13/08 na capital paulista foi de apenas 27% o que faz com que a poluição não se disperse e acabamos sofrendo com isso problemas como irritação nos olhos, dores de garganta, pressão baixa e etc.

Nossos amigos peludos também sofrem com a baixa umidade do ar e temos que ter um cuidado redobrado com a saúde deles nesse tempo seco.

As dicas abaixo parecem bem simples, mas muitos donos de animais não as realizam como deveriam ou esquecem que seus peludos também sofrem com o tempo seco.

Atenção com as vasilhas de água. Se possível, troque pelo menos três vezes por dia a água da vasilha para que seu peludo sempre tenha água fresca. No calor e em tempos secos, a água tende a evaporar mais rapidamente. Nunca deixe seu peludo sem acesso a água.

Se seu animal vive em um quintal, certifique-se que ele tenha acesso a locais frescos e que tenham sombra.

Não passeie com seu animal em horários de sol forte. Procure passear com ele logo pela manhã até as 9:30 horas ou no fim da tarde depois das 17:30 horas, quando o sol já está baixo e a temperatura é um pouco mais agradável.

 
Não deixe seu animal preso em lugares fechados, pequenos ou com pouca ventilação. Os cães e gatos não trocam calor pela pele, como os humanos, por conta disso, a respiração dos peludos é a forma principal para que eles controlem e mantenham sua refrigeração corporal. 

Um lugar bem arejado com água e sombra é a melhor opção para eles!!!!


Entre em contato e peça uma consulta para avaliarmos e darmos dicas sobre o ambiente em que seu peludo vive.
www.equilibrioem4patas.com

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Yoga para cães!!

Já pensou em fazer yoga com seu animal de estimação?


Pois é, essa prática já é normal nos EUA, e é muito popular na Ásia. Chama-se Doga, que nada mais é que uma yoga voltada para os cães.

A princípio pode parecer estranho ou sem sentido, mas a Doga vem ajudando muitos cães a relaxarem e principalmente a interagirem com seu dono.

Mad Max fazendo Yoga!!
Mas quem disse que cachorro nunca fez movimentos de yoga, não é!!??

Uma das posições mais conhecidas para quem pratica  yoga é  chamada de “cão olhando para baixo” que é o que todos os cães fazem quando esticam as patinhas da frente em uma boa espreguiçada de relaxamento. 

Mas de fato, independente de você fazer Yoga com seu cão ou não, o mais importante é que seu peludo faça atividades físicas que os relaxem. Uma boa caminhada no parque, uma corrida, exercícios que gastem não só a energia física dele, mas a mental também. Tudo isso proporcionará mais qualidade de vida para ele e para você. Além de estreitar e fortalecer o elo entre ambos.

Então não perca mais tempo, deixe sua preguiça de lado e vá praticar exercícios físicos com seu cão.

Se não tiver tempo para fazer exercícios com seu animal, nós podemos fazer isso por você.
Entre em contato e peça o serviço de dogwalker educacional.
www.equilibrioem4patas.com

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Câmera animal!!

Uma câmera que foi projetada especialmente para ser usada por cães e gatos está fazendo sucesso nos EUA. Ela fica presa na coleira do animal e tem um tempo de gravação de até 2 horas.

Uma coisa que achei interessante nessa câmera é a possibilidade dela mostrar exatamente o que seu peludo anda fazendo, principalmente quando você não está em casa, ou quando seu animal sai para dar umas voltas por aí, no caso dos gatos.

Achei uma boa ferramenta do ponto de vista de treinamento e até mesmo para detectar o que seu animal andou comendo por aí e que fez ele ficar doente ou como ele apareceu com certos machucados por exemplo.

Essa câmera chama Eyenimal e já é vendida no Brasil.

Abaixo seguem dois vídeos que mostram como funciona a câmera. Um deles é bem divertido e produzido pela Friskies.

video
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...